Blog

jan 30th

Paris 6 dá aula de empatia e fidelização através das redes sociais

Posted by with No Comments

Engana-se quem pensa que o cuidado com o cliente deve ocorrer apenas da porta para dentro do seu estabelecimento. Já falamos em milhares de textos sobre a importância da comunicação como um todo, tanto interna, quanto externamente. Inclusive, mais recentemente, falamos sobre a comunicação como base de todo relacionamento, sendo ele profissional ou pessoal: http://www.lapresse.com.br/como-construir-um-ciclo-de-comunicacao-para-pme/

E o Paris 6  – aquele restaurante super bem falado que a minha namorada quer ir e eu nunca levo – mostrou que está atento não apenas a necessidade, mas também ao bem-estar de seus clientes. Neste mês de janeiro, durante uma forte chuva em São Paulo, uma consumidora foi derrubada pela força da água, quando ia entrar no restaurante.

O vídeo, é claro, viralizou nas redes sociais, virando memes e gifs. No entanto, o restaurante estava atento a isso e, mostrando preocupação com a sua cliente, se posicionou: começou a procurar a consumidora para uma “noite de estrela” através da página oficial no Facebook, com  Isaac Azar, sócio-fundador do Paris 6, assinando a postagem.

Apenas isso, já rendeu uma resposta da cliente Nathalia Alves, mostrando-se bem e destacando a atenção dada por todos do Paris 6, desde o sócio-fundador, até o manobrista, que estava ajudando-a no momento do acidente.

Poderia ter ficado apenas nisso? Sim, mas o Paris 6 foi além e tornou Nathalia uma cliente vip vitalícia, podendo fazer refeições gratuitas em qualquer unidade do restaurante.

O que isso demonstra?

Qualquer empreendedor poderia, simplesmente, não falar nada sobre o acidente e deixar passar essa onda. Afinal, o incidente não ocorreu dentro do estabelecimento e o Paris 6, teoricamente, não teria nenhuma responsabilidade com a consumidora.

Mesmo assim, com atenção as redes sociais e ao consumidor, enxergando o ser humano em cada um de seus clientes, agiu, e agiu certo! Humanizou o restaurante, mostrou toda a agilidade para a resposta sobre a situação – mesmo não sendo culpa do Paris 6 -, colocou o líder em destaque e pensou apenas em seu cliente, não querendo nada em troca.

Outros cases

Não é incomum algumas empresas entrarem em polêmica por ações de seus funcionários. Empreendimentos como Burger King, FedEx e American Airlines já encararam de frente alguns problemas e, com agilidade e eficiência, reverteram a situação ruim.

Na FedEx, por exemplo, um funcionário foi filmado jogando uma caixa de qualquer jeito, não se importando com o conteúdo interno. O presidente da empresa, Matthew Thornton, gravou um vídeo-resposta às críticas pedindo desculpas e apresentando medidas para que o problema não voltasse a ocorrer.

Já no Burger King, um funcionário postou uma foto nas redes sociais pisando em cima de alfaces da empresa, gerando raiva nos consumidores dos alimentos. Rapidamente, a rede de fast-food se posicionou, localizando o autor da foto, demitindo-o e emitindo um comunicado sobre a solução do caso. Medidas simples, certo? Mas com agilidade: tudo ocorreu em menos de 24h.

A American Airlines passou por uma saia-justa por causa de boatos! Algumas histórias levantaram a possibilidade de uma suposta falência da empresa, que, por sua vez, criou vários canais específicos para falar sobre esses rumores, inclusive dentro do seu site!

A Brastemp também mostrou-se atenta às redes sociais, quando um cliente, depois de 90 dias sem geladeira e 10 ligações para o SAC, colocou o seu refrigerador na porta de casa, gravou um vídeo e postou nas mídias sociais. No mesmo dia a empresa ficou sabendo do caso, entrou em contato com o consumidor, resolveu o problema, investigou onde ocorreu a falha, ofereceu, novamente, treinamento para todos os profissionais para que o problema não se repetisse e se posicionou pela internet e em diversos veículos de comunicação.

Resumindo a história, com o avanço das tecnologias e o crescimento das mídias sociais, é primordial que toda empresa esteja atenta as novidades e seja rápida em responder os seus consumidores, não deixando que o problema vire uma bola de neve e coloque tudo a perder em pouco tempo.

Ficou com alguma dúvida ou quer saber mais sobre Relações Públicas e Mídias sociais?

Entre em contato com a gente pelo e-mail [email protected].

 

Read More
set 27th

LaPresse amplia cartela de clientes em empreendedorismo social

Posted by with No Comments

Empreender, por si só, já é um legado. Mas ser o idealizador ou realizador de uma ideia de negócio que, além de ter potencial, ajudar outras pessoas, é melhor ainda! E, com isso, surgiu o empreendedorismo social, com empresas que, além de comercializarem seu produto ou serviço, ajudam a solucionar os problemas das comunidades nas quais estão inseridas.

Aqui na LaPresse Comunicação, apostamos em uma rica variedade de clientes: instituições públicas, PME, startups, aceleradoras e empresas internacionais.  Agora contamos com duas contas de empreendedorismo social que nos dá muito orgulho: Colombina Realizações e Calça Thai.

No caso da internacional Calça Thai, o empreendedorismo social fala mais alto na contratação das artesãs e costureiras para produção do material, dando a prioridade para as moradoras da Tailândia, que conseguem, além de tudo, colocar toda a sua experiência e expertise local nos produtos produzidos.

colombina capaJá sobre a Colombina Realizações é uma iniciativa capitaneada pelas atrizes Mônica Saturnino e Cintia Sant’Anna, e a produtora Sarah Alonso, que desenvolvem trabalhos que visam utilizar a cultura como caminho para iniciar um diálogo, como o II Festival Funk Favela, realizado no último sábado e foi destaque em veículos como a Veja Rio e Agência de Notícias de Favela.

Esses dois exemplos só mostram um fato super positivo: o crescimento do empreendedorismo social em todo o mundo, se preocupando, além da venda do seu produto e do crescimento do seu negócio, no auxílio da comunidade ao redor da empresa.

Read More
Maio 5th

Reduza da mídia

Posted by with No Comments

Por Luana Weitzel

Hoje é dia de compartilhar um case bem bacana com vocês, o do Reduza, startup criada pelos empreendedores Amador Gonçalves, Alessandro Fontes e Lucas Pelegrino, que entrega o menor preço aos clientes de e-commerce através de descontos, cupons e promoções de forma rápida, simples e totalmente gratuita. “Para as pessoas que já sabem o que e onde vão realizar a comprar, bastar copiar o link do produto, colar no site ‘www.reduza.com.br‘ e clicar em ‘Reduzir Preço’, e para quem não sabe o que ou onde comprar, basta fazer uma busca cuidadosa pelo produto desejado,” explica Alessandro Fontes.

A plataforma, que é uma das caçulinhas de nosso portfólio, foi notícia em nove espaços no mês de abril. A lista de clipping conta com os principais e mais respeitados veículos de comunicação do país como a Exame.com, Info, Catraca Livre, InfoDowloads e InfoMoney. Para ler todas as matérias na íntegra, basta clicar aqui: goo.gl/KWvZxg 

Esse resultado matador é baseado em nossa metodologia que desenvolve para cada cliente uma estratégia sob medida, com produção de conteúdo sobre o negócio que realmente vale como notícia e mapeamento de veículos de maior impacto para alcançar o objetivo de comunicação. Para conhecer outros cases de sucesso da LaPresse, acesse o post ‘Cases de Sucesso: Assessoria de Imprensa na Prática’.

Para saber mais sobre o Reduza: lançada em fevereiro deste ano, a startup foi desenvolvida com o intuito de manter o comércio eletrônico aquecido. E conseguiu, pois, já no primeiro mês de funcionamento, a startup conquistou mais de 2.500 usuários. Atualmente, conta com um portfólio composto por grandes varejista do comércio online como o Walmart, Ricardo Eletro, Hotel Urbano, Centauro, Netshoes, Portal Educação, Submarino, Extra, Novo Mundo, Americanas, Shoptime, Ponto Frio, Lojas MM entre outros.

*Luana Weitzel é jornalista com especialização em negócios pela Fundação Dom Cabral e CEO da LaPresse Comunicação

Read More
jan 14th

Cases de Sucesso: a Assessoria de Imprensa na Prática

Posted by with No Comments

Por Luana Weitzel

Como uma boa jornalista, eu amo histórias. Fábulas, documentários, entrevistas, investigações… tudo me atrai. E foi por isso que escolhi essa profissão, para ser uma contadora de histórias de gente, do cotidiano. Por esse motivo, recebi a missão de dividir com vocês, durante essa semana, as melhores práticas de comunicação para startups e PME’s.

Hoje, vou apresentar três casos de estratégias de assessoria de imprensa que desenvolvemos para empreendedores de negócios em educação, como o Rodrigo Schluchting, do Estudo ao Vivo; comportamento, com Flavio Estevam, do Namoro Fake; cultura, com a Barbara Soledade e Luiz Calvão, do Livre.Ria. São histórias inspiradoras para você tirar seus pensamentos do papel e colocar sua estratégia em prática.

Case Estudo ao Vivo

logoestudositelapresse

O Grupo Estudo ao Vivo é detentor das startups Elo Concursos e a Exato Vestibulares – plataformas online de preparação para concursos públicos e vestibulares, e tinha como objetivo em comunicação aumentar a notoriedade de ambas a nível nacional, tanto no cenário da educação quanto no de empreendedorismo. O desafio era atingir dois públicos distintos. Para isso, demos o que havia de melhor para cada frente: para atrair os vestibulandos e concurseiros, trabalhamos matérias com dicas dos especialistas das plataformas para veículos especializados; e para as editorias de negócios, a performance das empresas, novos produtos e a trajetória empreendedora dos sócios. O resultado: foram mais de 50 matérias em veículos de grande audiência como a revista Exame PME, Folha Dirigida e Estadão.

Palavras do Empreendedor

“O resultado não poderia ser melhor: ganhamos maior visibilidade, conseguimos atingir mais clientes e também fechar novas parcerias estratégicas. De todo o nosso marketing, a assessoria de imprensa feita pela LaPresse tem sido um dos melhores investimentos.”

Rodrigo Schluchting, CEO do Grupo Estudo ao Vivo.

Case Namoro Fake

logonamorolapresse

Uma das startups mais polêmicas do Brasil, a plataforma inovou ao oferecer a homens e mulheres a possibilidade de contratar uma pessoal real se passar por um(a) namorado(a) falso(a) no Facebook. A missão era gerenciar o relacionamento com a imprensa para gerar o maior número de matérias positivas e trabalhar o perfil empreendedor de seu idealizador, Flavio Estevam. Para executar essa tarefa, dividimos a estratégia de relacionamento com a imprensa em: gerenciamento de oportunidades, com media training pré-entrevista; divulgação de novos serviços, a cada produto e pacote lançado pela plataforma; e agenda de eventos, com as palestras, premiações e eventos que o empreendedor participou. Essa metodologia rendeu mais de 180 publicações no Brasil como Encontro com Fátima, Glamour, G1, e no exterior como ABC News, FoxNews e Mashable.

Palavras do Empreendedor

“Já concedi entrevista para centenas de veículos de mídias nacionais e internacionais e ter uma assessoria de imprensa junto comigo, desde o início do Namoro Fake, foi fundamental para o meu ótimo relacionamento com os jornalistas e imprensa.”

Flavio Estevam, CEO Namoro Fake

Case Livre.Ria

logoLIVRERIAsitelapresse

Idealizado pelo casal empreendedor Barbara Soledade e Luiz Calvão, o projeto cultural visa estimular o hábito de leitura no cotidiano dos cariocas e chamar a população para ocupação de espaços públicos. Nosso desafio era divulgar o evento nas editorias de cultura e comportamento do Rio e estimular os moradores da cidade a participarem. Para isso, estudamos o hábito de leitura do brasileiro, em especial dos cariocas, e o conceito de eventos disruptivos em espaços público para validar o conceito do Livre.Ria. O resultado foi a cobertura da Agência Brasil, G1, NOO – maior portal de comportamento da cidade -, O Globo, a  indicação de programa para fim de semana no RJTV, telejornal da TV Globo, e mais outros 50 espaços.

Palavras do Empreendedor

“Graças à sinergia criada entre as duas empresas conseguimos ter uma grande repercussão do projeto na mídia, aparecendo nos principais veículos brasileiros e em alguns veículos internacionais, surpreendentemente!”

Luiz Calvão, coidealizador do Livre.Ria

Espero que esses exemplo te ajudem a criar uma estratégia adequada seu planejamento em comunicação! Aproveite e leia mais sobre como iniciar esse setor com:

 

*Luana Weitzel é jornalista com especialização em negócios pela Fundação Dom Cabral e CEO da LaPresse Comunicação

 

Read More
abr 8th

BizStart é destaque no Diário do Comércio

Posted by with No Comments

Em uma matéria que tem como tema a expansão e o  aquecimento do mercado de trabalho, a Bizstart  e seu projeto de ensino para o empreendedorismo é destaque. A necessidade de disseminar o conhecimento em um mercado tão dinâmico é um dos aspectos abordados.

Read More
fev 27th

Construindo cases: status versus eficiência

Posted by with No Comments

Por Luana Weitzel*

“Meu público é a classe C. Sair na Flavia Oliveira – coluna Negócios & Cia, O Globo – só vai alimentar meu ego e o que eu quero é resultado para os meus negócios”, disse um cliente em uma de nossas reuniões de briefing. Não é à toa que ficou milionário antes dos 30, pois sabia que o veículo deve estar alinhado com o mercado de atuação do negócio.

Antes de eleger o TechCrunch, TNW, Exame PME, a GloboNews e Programa do Jô como o must have de seu acervo de clipping, é preciso traçar seu objetivo no relacionamento com a imprensa, para depois mapear os veículos que trarão os melhores resultados.

Por exemplo, quando uma startup lança um aplicativo, seu objetivo com a divulgação na imprensa é atrair o maior número de usuários. Se seu app é para o setor financeiro, uma matéria no Valor Econômico é primordial. Mas, se a plataforma é de comparação de preços de produtos em supermercados, o Jornal Extra ou sites com MdeMulher vão atender perfeitamente à empresa.

Sendo assim, o melhor canal para falar com empreendedores de startups são veículos online; profissionais e usuários, em especializada – carreira ou de formação técnica – e segmentada – feminino, infantil, culinária ou educação – e os investidores, em espaços voltado para economia e empreendedorismo, que vai de colunas de negócios a programas de rádio e televisão.

Essa maturidade empresarial resulta um retorno de mídia certeiro, focado no valor do veículo para o empreendimento. Sendo assim, para uma aceleradora é mais relevante noticiar a abertura das inscrições de seu programa em veículos online, fonte de leitura de empreendedores digitas, do que no impresso.

Seja qual for a área de atuação, o importante é saber direcionar os assuntos para o mailing – lista de contatos com nome do jornalista, veículo, editoria, e-mail, telefone e outras informações – eficaz. Esse é o primeiro passo para atingir o público-alvo desejado e, consequentemente, ter a atenção voltada para o seu negócio.

 

*Luana Weitzel é fundadora da LaPresse Comunicação e pós-graduada em Comunicação Empresarial

Read More